Comunicado de Imprensa

ACNUR e parceiros promovem actividades para celebrar o Dia Mundial do Refugiado em Angola

14 junho 2022

Um programa com enfoque artístico, informativo, desportivo e cultural vai reforçar o tema global para 2022 sobre o direito das pessoas buscarem protecção.  

Luanda, 14 de Junho de 2022 – Com o objectivo de chamar a atenção sobre a necessidade de se garantir protecção às pessoas forçadas a se deslocar e homenagear a força e resiliência de todos os refugiados em Angola e no mundo, o ACNUR (Agência da ONU para Refugiados) e seus parceiros realizam neste mês diversas actividades em Luanda e na Lunda Norte para marcar o Dia Mundial do Refugiado, celebrado globalmente no dia 20 de Junho.

A agenda está a ser desenvolvida pelo ACNUR e parceiros e, este ano, incluem actividades artísticas, desportivas e culturais com a população refugiada, formações para jornalistas, parceiros da sociedade civil, debates e a divulgação das tendências sobre o deslocamento forçado no mundo.

Em 2022, o tema global escolhido para o Dia Mundial do Refugiado é “Todas as pessoas têm direito a buscar protecção” e tem por objectivo chamar a atenção da opinião pública para o direito fundamental de buscar segurança, assim como reforçar um movimento solidário global a os refugiados. Neste contexto, o ACNUR aproveita a oportunidade para reconhecer os esforços do governo de Angola na busca de soluções e agradecer a comunidade angolana pelo acolhimento da população refugiada no país.

No dia 17 de Junho, o ACNUR divulgará informações actualizadas sobre o deslocamento forçado no mundo ao lançar seu o relatório anual “Tendências Globais 2021”. Em Luanda, o ACNUR está a organizar uma mesa redonda com a participação da comunidade refugiada e de membros do governo para debater o direito de buscar protecção e o contexto do asilo em Angola. Adicionalmente, o ACNUR organizou a mostra fotográfica “Olhares sobre o Refúgio” reunindo dez imagens sobre pessoas refugiadas em Angola, com o objectivo de sensibilizar o público geral em relação ao tema. A exposição estará em cartaz entre os dias 20 e 30 de Junho no Shopping Fortaleza. Além disso, estão ainda previstas actividades culturais e desportivas junto à comunidade de refugiados em Viana.  

Na Lunda Norte, destacam-se torneios de futebol feminino e masculino, entre as comunidades refugiadas e angolana, que acontecerão no assentamento do Lôvua, como forma de celebrar o Dia Mundial do Refugiado e promover a inclusão e a convivência pacífica na região. No assentamento, apresentações de dança e teatro também farão parte das celebrações, assim como uma exposição de brinquedos produzidos por refugiados. Por fim, em parceria com a Universidade Lueji A'Nkonde no Dundo, o ACNUR promoverá uma mesa redonda sobre o direito de refugiados e um workshop voltado para jornalistas sobre a produção de conteúdo com foco humanitário. Também em colaboração com esta universidade, está previsto um programa de rádio para ajudar a sensibilizar para a questão dos refugiados.

Angola acolhe actualmente cerca de 57.000 refugiados e requerentes de asilo. Essa população é composta em grande parte por refugiados e solicitantes de refúgio da República Democrática do Congo, dos quais 17% vieram durante o influxo em massa de 2017 do Grande Kasai. Outras nacionalidades também compõem a população de interesse do ACNUR em Angola, como guineenses, marfinenses, mauritanos, somalis, sudaneses e eritreus, totalizando cerca de 50.000 pessoas que vivem maioritariamente em áreas urbanas.

O ACNUR em Angola trabalha em plena parceria, coordenação e diálogo com o Governo, fornecendo apoio para seguir e desenvolver políticas e legislações consistentes com os compromissos globais relacionados com refugiados, requerentes de asilo e apátridas. As actividades em Angola incluem o apoio ao Governo para garantir que as pessoas que necessitam de protecção internacional tenham acesso sem entraves ao território e asilo, registo, documentação e determinação do estatuto de refugiado.

Sobre o Dia Mundial do Refugiado – Desde 2001, o Dia Mundial do Refugiado é celebrado globalmente em 20 de Junho, de acordo com resolução aprovada pela Assembleia Geral das Nações Unidas. Para o ACNUR, a data é uma oportunidade para homenagear a coragem, a resiliência e a força de todas as mulheres, homens e crianças forçadas a deixar suas casas devido a guerras, conflitos armados e perseguições. Estas pessoas tiveram que deixar tudo para trás – excepto a esperança e o sonho de um futuro mais seguro. Há 72 anos, o ACNUR vem trabalhando para ajudar refugiados em todo o mundo e seguirá nessa direção sempre que alguém esteja em busca de protecção.

Para mais informações sobre as actividades do Dia Mundial do Refugiado, contacte as unidades de Relações Externas do ACNUR Angola:

  • Em Luanda, Flavia Faria – Oficial de Relações Externas: (244) 927 668 977 / faria@unhcr.org
  • Na Lunda Norte, Lina Ferreira - Oficial de Relações Externas: (244) 934 757 854 / santosfe@unhcr.org
Refugiadas congolesas no assentamento do Lôvua
Legenda: Refugiadas congolesas no assentamento do Lôvua, em Lunda Norte, onde ACNUR e parceiros realizarão diversas actividades para celebrar o Dia Mundial do Refugiado 2022. Foto: UNHCR/ACNUR Manuel Mbunga.
Foto: © UNHCR/ACNUR Manuel Mbunga

ACNUR e parceiros promovem actividades para celebrar o Dia Mundial do Refugiado em Angola

Oficial de Comunicação e Relações Externas

Flavia Faria

ACNUR
Oficial de Comunicação e Relações Externas.

Entidades da ONU envolvidas nesta atividade

ACNUR
Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados