Comunicado de Imprensa

ACNUR Celebra o Dia Mundial do Refugiado 2021

18 junho 2021

No dia 20 de Junho, celebra-se o Dia Mundial do Refugiado, e a data representa uma oportunidade para o ACNUR comemorar a resiliência, a coragem e a contribuição dos refugiados nas sociedades em que são acolhidos

 

 

Refugiados da República Democrática do Congo em Angola, preparando-se para voltar para casa por meio do programa de repatriamento voluntário. Foto: ACNUR/John Wessels.
Legenda: Refugiados da República Democrática do Congo em Angola, preparando-se para voltar para casa por meio do programa de repatriamento voluntário.
Foto: © Foto: ACNUR/John Wessels.

Neste dia, o ACNUR pretende também honrar as pessoas que foram forçadas a deixar suas casas e famílias em busca de um abrigo seguro fora de seu país de origem. 

O tema de campanha alusivo ao Dia Mundial do Refugiado deste ano é “o poder de inclusão”. No seu discurso relacionado a data, o Alto Comissário das Nações Unidas para Refugiados, Filippo Grandi, relembrou a importância de se estabelecer mais parcerias nos setores de desenvolvimento, dentre outros, para garantir a inclusão de refugiados em programas de educação, saúde e de subsistência. “Isso se faz necessário especialmente neste contexto de pandemia, quando esses grupos mais vulneráveis são particularmente atingidos do ponto de vista social e econômico”, disse Grandi.

De acordo com o relatório Tendências Globais, lançado no dia 18 de Junho de 2021, o ACNUR estima que 82,4 milhões pessoas no mundo foram forçadas a se deslocar, incluindo 20,7 milhões de refugiados sob o mandato do ACNUR. Durante este período caracterizado por muitos desafios trazidos pela COVID-19, a prioridade do ACNUR é apoiar e garantir a prestação de serviço, assistência e proteção a pessoas de interesse.

A Coordenadora Residente das Nações Unidas em Angola, Sra. Zahira Virani, em pronunciamento sobre o Dia Mundial do Refugiado, ressalta a relevância do apoio colectivo, contínuo, consistente e activo demonstrado em acções de inclusão de refugiados e pessoas internamente deslocadas por parte do Governo Angolano, organizações não governamentais nacionais e internacionais, comunidades locais, sociedade civil, sector privado e, em especial das Agências das Nações Unidas que trabalham no país.

Este ano, a mensagem escolhida para a ocasião do Dia Mundial do Refugiado realça que apenas em conjunto podemos dar resposta eficientes às necessidades nacionais e desafios provocados pela actual pandemia. A inclusão de todos é particularmente importante, e encontra-se alinhado ao espírito defendido pelas Nações Unidas e reforçado na Agenda 2030, no esforço colectivo para uma recuperação sustentável nesta luta contra o Covid-19. Neste sentido, é com apreço que assistimos em Angola à inclusão deste grupo vulnerável no plano nacional de vacinação contra a Covid-19.

Todo o sistema das Nações Unidas em Angola apoia a solidariedade das autoridades angolanas, assim como das comunidades locais, ao acolherem e integrarem pessoas numa situação vulnerável, dando particular atenção à inclusão das mulheres e crianças, não deixando ninguém para trás.

É importante sublinhar que a vasta maioria dos refugiados em Angola residem em zonas urbanas; muitos há mais de duas décadas. Novas gerações aqui também nasceram e cresceram, absorvendo a língua, os costumes e a cultura angolana. Em troca, os refugiados trazem consigo uma vasta gama de experiências, conhecimentos e acima de tudo, muita determinação. Sua integração na sociedade desenvolve-se de forma natural, e os países que reconhecem o contributo da população refugiada na sociedade e investem no seu potencial, colhem resultados bastante positivos que se refletem no desenvolvimento e coesão social. Assim foi o caso dos países que acolheram e apoiaram os refugiados angolanos durante as décadas de conflicto interno em Angola.

O contributo dos refugiados em Angola tem sido notável e essencial para o desenvolvimento local. Na Lunda Norte, um exemplo que mais uma vez mostra a grande dedicação, resiliência e coragem dos refugiados é o Mercado no Assentamento do Lôvua que conta com um espaço organizado com 90 lojas que beneficiam  mais de 6.000 refugiados, assim como a comunidade angolana naquela provincia. Este é um exemplo claro de um projeto realizado pelo ACNUR e seus parceiros para aumentar significativamente o comércio, as oportunidades de emprego, a autossuficiência e a coexistência pacífica entre os refugiados e a comunidade angolana local. Além disso, uma clínica de saúde foi construída para providenciar cuidados de saúde primária de qualidade, para os refugiados e a comunidades locais. Para ilustrar este ponto, 30% das consultas realizadas na clínica beneficiam membros das comunidades locais angolanas. O ACNUR em Angola tem também um grande impacto na área de agricultura. Um projecto recente apoia mulheres refugiadas  a cultivar arroz nas comunidades locais, o que beneficia não só a comunidade refugiada mas também seus anfitriãos angolanos por meio da maior oferta e da diversidade de alimentos e formações prácticas para ajudar no cultivo do arroz.

Em suas observações relacionadas ao Dia Mundial do Refugiado, o Representante do ACNUR em Angola Sr. Vito Trani realçou a importância da colaboração com Governo de Angola, através do apoio prestado por diversos Ministérios, notavelmente o Ministério do Interior e o Serviço de Migração e Estrangeiros, bem como os Ministérios das Relações Exteriores; da Justiça e dos Direitos Humanos, Ministério da Acção Social, Família e Promoção da Mulher, sem se esquecer das Agencias Parceiras em Angola tais como o Serviço Jesuita aos Refugiados, Ajuda da Igreja Norueguesa, World Vision Internacional, Igreja Evangélica Irmãos de Angola, Salesianos de Dom Bosco, Ajuda de Desenvolvimento de Povos Para Povos assim como o apoio técnico fornecido por parte do ACNUR para os Ministerios mencionados acima. De acordo com o Sr. Trani ‘’cada um de nós deve fazer a diferença na sua vida diaria e ter uma abordagem inclusiva quando se trata de promover o respeito e a dignidade para todos os refugiados, deslocados internos e apátridas no mundo inteiro. Continuar a defender esses valores em tempos de pandemia é uma mensagem poderosa de esperança e solidariedade”,

Feliz Dia Mundial do Refugiado a todos e estamos juntos!

 

 

 

 

ACNUR Celebra o Dia Mundial do Refugiado 2021

Oficial de Comunicação e Relações Externas

Flavia Faria

ACNUR
Oficial de Comunicação e Relações Externas.

Entidades da ONU envolvidas nesta atividade

ACNUR
Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados

Objetivos que apoiamos através desta iniciativa