OMS vai apoia o sector de educação na melhoria da saúde escolar

A Representante da OMS em Angola, Dra. Djamila Cabral foi recebida em Luanda, pela Ministra da Educação de Angola, Dra. Luísa Grilo, com quem abordou questões ligadas a cooperação com a OMS, nomeadamente, a disponibilidade em apoiar o país para o desenvolvimento de um plano robusto de saúde escolar

Luanda, 07 de Junho de 2021 – Segundo a Ministra da Educação, Dra. Luísa Grilo, a saúde representa um pilar fundamental para o sistema educativo, em particular para o desenvolvimento e aproveitamento escolar, pelo que, o trabalho conjunto com a OMS e o Ministério da saúde, reveste-se de capital importância para a melhoria do ensino no país.

“Em tempo de pandemia da COVID-19, não se deve esquecer as questões da saúde escolar e necessidade de construir programas robustos que incluem, entre outros, a educação sexual reprodutiva, a malária, a promoção de estilos de vida saudáveis e outros elementos que sirvam de prevenção de doenças no futuro”. Disse a Dra. Luísa Grillo

De acordo com dados do Ministério da Educação, as doenças endémicas no país, em particular a malária, representam as principais causas de absentismo escolar, o que tem comprometido a aprendizagem das crianças.

Para dar resposta a esta situação, o Ministério da Educação tem trabalhado com o sector da saúde e parceiros para a realização de acções visando o combate às doenças da infância, bem como a educação das crianças sobre a importância da lavagem das mãos com água e sabão, saúde reprodutiva e prevenção da gravidez precoce.

O apoio da OMS para o desenvolvimento e implementação de um programa de saúde escolar robusto é bem-vindo. O Ministério da Educação e a OMS concordam ser necessário criar condições para que os alunos tenham acesso a serviços de prevenção de doenças e promoção da saúde, incluindo a avaliação periódica da audição e da visão, a sensibilização e acompanhamento das crianças e comunidades por forma a adoptarem hábitos de vida e uma nutrição saudáveis, assim como o reforço do acesso aos cuidados primários de saúde para os alunos e suas comunidades.

Para a Representante da OMS em Angola, Dra. Djamila Cabral, a OMS regozija-se em poder trabalhar em conjunto com o Ministério da Educação, para o fomento de programas de saúde e bem-estar dos alunos e suas famílias.

“A OMS tem uma larga experiência de trabalho com o sector da educação, a nível da formação de professores para inclusão de conteúdos de prevenção da doença e promoção da saúde, e a nível da saúde escolar para uma abordagem holística da promoção da saúde das crianças, adolescentes e jovens. Pelo que, será uma honra para nós poder trabalhar com o Ministério da Educação de Angola, para a melhoria da saúde nas escolas e bem-estar das comunidades”

Actualmente, no quadro da pandemia da Covid-19, a OMS, juntamente com o Ministério da saúde e outros parceiros, tem vindo a apoiar o Ministério da Educação na elaboração da proposta do Plano de Acção Nacional para manter as escolas abertas e seguras, de modo a evitar um maior impacto do encerramento das escolas na aprendizagem, bem como em campanhas de desparasitação das crianças em idade escolar (5-14 anos), realizadas nas comunidades e nas escolas primárias.

O encontro foi também ocasião para a Representante da OMS informar a Ministra da Educação sobre o processo de elaboração da Estratégia de Cooperação entre a OMS e Angola, em que a participação e contribuição dos parceiros, nomeadamente do Ministério da Educação, será fundamental para a definição das prioridades de ação da OMS no país nos próximos cinco anos.

 

 

Contatos para a imprensa
Entidades da ONU envolvidas nesta atividade
OMS
Organização Mundial da Saúde