Comunicado de Imprensa

Doação do governo do Japão fortalece protecção de refugiados e comunidades de acolhimento em Angola

30 março 2022

Contribuição japonesa ao ACNUR reforçará resposta nacional para o combate à COVID-19 através de actividades e intervenções de prevenção em Luanda e Lunda Norte.

Legenda: ACNUR e parceiros inauguram nova estação de água no assentamento do Lôvua, como parte dos esforços de prevenção à COVID-19.
Foto: ©ACNUR/Omotola Akindipe

Luanda, 29 de Março de 2022 – No início deste mês, o ACNUR, Agência das Nações Unidas para Refugiados em Angola, recebeu uma nova contribuição do Governo do Japão no valor de 1 milhão de dólares que serão investidos para reforçar a resposta nacional de combate e prevenção à COVID-19 às comunidades refugiadas e angolana em Luanda e Lunda Norte. No total, cerca de 9.000 refugiados e requerentes de asilo em Angola e cerca de 2.000 membros da comunidade de acolhimento que vivem nas áreas circundantes ao assentamento de Lôvua serão beneficiados por essas actividades.

A contribuição será destinada a acções no domínio de saúde, distribuição de medicamentos e equipamentos de protecção individual (EPI), assim como possibilitará a melhoria de infraestrutura para o fornecimento de água e saneamento dentro do assentamento do Lôvua. Isto permitirá que o sistema de prestação de serviços básicos de saúde seja fortalecido nas unidades de saúde e clínicas nas áreas onde os refugiados e requerentes de asilo vivem em alto risco de infecção por COVID-19. De igual modo, permitirá também a realização de sessões informativas e de consciencialização sobre os riscos da COVID-19, voltadas a crianças e adolescentes, para que estes adquiram hábitos e comportamentos eficazes no combate contra a doença no país.

Desde o início da pandemia, no início de 2020, o ACNUR tem vindo a actuar em linha com o Plano Nacional Angolano COVID-19 para proporcionar actividades e intervenções de prevenção na Lunda Norte e Luanda no cumprimento das medidas de biossegurança.

O representante do ACNUR Em Angola, Vito Trani, ressaltou a importância dos recursos japoneses para o fortalecimento da resposta que vem sendo dada pelo ACNUR em colaboração com o governo de Angola. “O Japão é um dos maiores doadores do ACNUR globalmente. Estamos muito satisfeitos por este apoio adicional que reforçará ainda mais a nossa capacidade operacional para proteger e assistir refugiados e requerentes de asilo em Angola, e também a população angolana”.

Angola acolhe actualmente cerca de 57.000 refugiados e requerentes de asilo. Esta população é em grande parte composta por refugiados e requerentes de asilo da RDC, dos quais 17% vieram durante o afluxo em massa de 2017 do Grande Kasai. Outras nacionalidades também compõem a população sob o mandato do ACNUR em Angola, como guineenses, marfinenses, mauritanos, somalis, sudaneses, eritreus entre outros, totalizando cerca de 50 mil que vivem maioritariamente em áreas urbanas.

 

Contactos para a imprensa:

Flavia Faria, Oficial de Comunicação e Relações Externas, ACNUR Angola, +244 927 668 977, faria@unhcr.org

Yuko Komori, Sector de Cooperação Económica, Embaixada do Japão em Angola, +244 944 308 217, yuko.komori@mofa.go.jp

Shoji Kitamura, Sector de Cooperação Económica, Embaixada do Japão em Angola, +244 944 308 234, shoji.kitamura@mofa.go.jp

Doação do governo do Japão fortalece protecção de refugiados e comunidades de acolhimento em Angola

Oficial de Comunicação e Relações Externas

Flavia Faria

ACNUR
Oficial de Comunicação e Relações Externas.

Entidades da ONU envolvidas nesta atividade

ACNUR
Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados

Outras entidades envolvidas nesta iniciativa

EOJ
Embassy of Japan

Objetivos que apoiamos através desta iniciativa